Leandro de Itaquera
  • História

    Foi fundada em 03 de março de 1982 graças a uma menina, Karin, que durante sua festa de aniversário pediu a seu pai, Leandro Alves Martins (fundador e atual presidente), uma Escola de Samba como presente.  

    Uma reunião com alguns amigos sambistas foi suficiente para estimular a fundação da Escola de Samba Leandro de Itaquera. 
     
    Ficou estabelecido que o Leão seria o símbolo da escola, representando força e liderança, e as cores oficiais seriam o vermelho (garra) e o branco (paz). 
     
    O povo acolheu a nova entidade que se situou à beira da estação de trem de Itaquera. Mais tarde, a mesma passou a ser orgulho de todos, sempre exaltando e defendendo o bairro e buscando o destaque no mundo do samba. 
     
    Aquele “presente” contou com a colaboração de muitas pessoas do bairro, que ajudaram a tocar a idéia. Em 1988, ou seja, após 6 anos de sua fundação, a Leandro de Itaquera já vencia o Grupo 1 e, em 1989 fez a sua estréia no grupo especial.
     
    Vice-Campeã do Grupo de Acesso em 2013, no qual se encontrava desde 2011, a escola desfilará no Grupo Especial em 2014. 
     
    Data de fundação: 03/03/1982
     
    Fundador: Leandro Alves Martins, Marilene Bernardes Martins
     
    Cores oficiais: Vermelho e Branco

     

  • Carnaval 2014

    Ginga Brasil, Futebol e Raça!

    Itaquera é um dos bairros mais populosos da cidade de São Paulo. Tem cerca de 3 milhões de habitantes e está localizado na Zona Leste. Sua principal escola de samba, a Leandro de Itaquera, só surgiu em 1982, e graças a uma menina, Karin, que durante sua festa de aniversário pediu ao seu pai, Leandro Alves Martins (fundador e atual presidente), uma Escola de Samba como presente. Uma reunião com alguns amigos sambistas foi suficiente para estimular a fundação da Escola de Samba Leandro de Itaquera no dia 03 de Março de 1982. 

    Ficou estabelecido que o Leão seria o símbolo da escola, representando força e liderança, as cores oficiais seriam o vermelho (garra) e o branco (paz). O povo acolheu a nova entidade que se situou à beira da Estação de Trem de Itaquera com muito amor e alegria. Mais tarde, a mesma passou a ser orgulho de todos, sempre exaltando e defendendo o Bairro Itaquera, destaque nacional no meio do samba.
     
    Aquele "presente" contou com a colaboração de muitas pessoas do bairro, que ajudaram a tocar a idéia. Em 1988, ou seja, após seis anos de sua fundação, a Leandro de Itaquera já vencia o Grupo 1 e, em 1989 fez a sua estréia no Grupo Especial. O ótimo samba "Babalotim" foi interpretado por Eliana de Lima, recém-chegada da Unidos do Peruche e a sua bateria foi comandada por Lagrila, um dos grandes nomes entre os ritmistas da cidade. Logo a escola foi mais respeitada pelos sambistas paulistanos e, em 1991, fez a sua melhor apresentação no Grupo Especial, ficando em terceiro lugar com o enredo "Querem Acabar Comigo", que criticava a exploração das riquezas naturais brasileiras. Desde 89, a única vez que a Leandro caiu para o Grupo 1 foi em 1995, mas em 1997 já estava de volta ao Especial para competir com as escolas mais tradicionais e seguir o seu caminho rumo à vitória tão sonhada por Itaquera.

  • Carnaval 2015

    Conheça nosso enredo:

    Justificativa do Enredo

    Os  Bantus são supremacia na África do Sul.

    Laços de sangue e de alma nos unem.

    Os primeiros africanos a chegarem ao Brasil, foram os negros de origem Bantu.

    Chegaram por volta de 1560.

    Em todas as áreas do Brasil influenciaram a nossa identidade.

    Construíram a nossa economia em desenvolvimento, mas, por outro lado, foram sumariamente excluídos da divisão dessa riqueza.

    E após quatro séculos de escravidão restaram aos seus descendentes a triste herança da situação atual do negro no Brasil. Que mesmo sendo cinqüenta por cento da população, ainda vive em situação de desigualdade. Em um sistema velado de discriminação.

    Na contra mão da história, olhamos para a África do Sul.

    Agora as influencias são outras.

    Laços ideológicos nos unem novamente!

    “A educação é o grande motor do desenvolvimento pessoal. É através dela que a filha de um camponês pode se tornar uma médica, que o filho de um mineiro pode se tornar o diretor da mina, que uma criança de peões de fazenda pode se tornar o presidente de um país.”  

       Nelson Mandela                                                                                                                                                              

    E nos valemos da força superior e do pragmatismo de Mandela, para fazer nosso carnaval. Na tentativa desesperadora de inspirar o Brasil a promover de fato a igualdade racial.  

    SINOPSE  DO  ENREDO

    Há um tempo longínquo o ciclo natural seguia seu curso.  Num majestoso deslumbre da natureza, ao rasgar a noite, o amanhecer desponta no horizonte. O rugido soberano do leão, acorda a fulgurante fauna à sacudir as savanas sul africanas; douradas agora, pelos primeiros raios do sol.

    É a vida em harmonia.

    Terras Bantu.

    Bem ao Sul, a paradisíaca África dos meus sonhos!

    Morada de etnias fascinantes.

    De tribos primitivas ...........e de milenares tradições.

        “Não há nada como a liberdade.” 

          NELSON MANDELA       

    E assim perdurou por séculos.

    Entretanto, o oráculo previa sofrimento e dor.

    Momentos difíceis estariam por vir...e veio.

    A partilha soprou ventos da Europa opressora.

    A ambição, para ceifar o ventre da vida em ouro e pedras preciosas.

    A dominação.

    A negra terra, todavia, era protegida por deuses ancestrais. Detentores das forças vitais que regem a vida. E enviaram os iluminados. Intercessores divinos, homens capazes de inspirar a paz e a fraternidade. Notáveis por seus poderes e sabedoria.

    Respeitados pela força e venerados por suas virtudes.

    A corte Aba Thembu está em festa!

    Mandela cresceu observando os costumes, os tabus, os rituais. A tradição oral lhe pôs em contato com mitos, fábulas e histórias fascinantes de reis lendários e heróis; povoando a sua infância de sonhos e esperança. Mas havia outro mundo além do seu, um mundo branco que ele conhecia o bastante para temer. Apesar de criança sabia que havia algo de assustador ali.

    De um lado a áfrica pura nativa, tribal.............

    .....Do outro a áfrica devorada pela ganância, pelo colonialismo e pela aculturação. Um mundo onde a cor da pele determinava o destino das pessoas. O mundo da segregação racial.

    Aos sete anos sentiu o primeiro impacto com este mundo. Seu professor decidiu que ele precisava de um nome mais apropriado para uma sociedade branca. Passou a se chamar Nelson Rolihlahla Mandela.

    Anos mais tarde perde seu pai e passa a morar com o chefe do clã Thembo.                                – Coragem meu filho, foi o pedido de sua mãe. Desolada com a dor da separação.

    Sua vida toma outro rumo.Teve acesso a uma ampla formação educacional influenciada por valores de sua própria cultura e da cultura européia. O discernimento invade a sua alma!

    “A educação é a mais poderosa arma pela qual se pode mudar o mundo.” 

        NELSON MANDELA

    Ao mesmo tempo.

    O apartheid já era um fato.

    E a tensão aumentava.

    Na universidade de direito, a consciência política desabrocha. Entra em contato com membros do Congresso Nacional Africano, CNA e funda a Liga dos Jovens do CNA, a “geração dos rebeldes”, na tentativa de forçar uma abordagem mais radical dentro da própria organização.

    Através da militância na Liga Jovem, juntamente com outros membros, desafiaram o sistema e deram um novo direcionamento ao CNA, mudando para sempre a luta pela liberdade.

    Definitivamente nascia um líder no combate pela emancipação e dignidade do povo. Era chamado de Madiba, sinônimo de carinho e respeito.

    “Eu odeio o racismo, pois o considero uma coisa selvagem, venha ele de um negro ou de um branco.” 

    NELSON MANDELA

    Não contente em estigmatizar e combater as leis do apartheid,  declarou-se favorável a uma África do Sul livre e igualitária.

    Falar afrikaner  jamais...

    Movimentos pacifistas se espalharam por todo o país.

    Foram recebidos à bala. É a praga do apartheid entrando em vigor e determinando a supremacia de uma minoria branca.

    Em seu julgamento fez sua própria defesa declarando diante do tribunal, que aquele era "um julgamento das aspirações do povo africano"

    Falou por quatro horas, e concluiu: "Durante a minha vida, dediquei-me a essa luta do povo africano. Lutei contra a dominação branca, lutei contra a dominação negra. Acalentei o ideal de uma sociedade livre e democrática na qual as pessoas vivam juntas em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal para o qual espero viver e realizar. Mas, se for preciso, é um ideal pelo qual estou disposto a morrer". Foi condenado a prisão perpétua.

    “Seja qual for o Deus, eu sou mestre do meu destino e capitão da minha alma.” 

    NELSON MANDELA

    A beleza paradisíaca da cidade do Cabo esconde a dor de Mandela, enjaulado na solitária prisão.

    Longos foram os anos de clausura...

    Re-significou sua vida e de lá comandou a resistência.

    Em comoção o mundo aliou-se a ele.

    “Libertem Nelson Mandela”, era o lema das campanhas antiapartheid em vários países do mundo.

    Movimentos políticos, na última tentativa de salvar a África do Sul, em 1990 sob a tutela do governo conciliador do presidente Frederik Willem de Klerk. Mandela foi libertado e reconduziu o processo que deu fim ao apartheid na África do Sul.

    Em 1992, as leis segregacionistas foram finalmente abolidas.

    No ano seguinte, a vitória política lhe concedeu o prêmio Nobel da Paz. Em 1994  tornou-se o primeiro Presidente de raça negra do país, sendo o maior responsável pelo expurgo das práticas racistas do Estado africano.

    “Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas outras montanhas por escalar.” 

    NELSON MANDELA

    Os vinte e sete anos de clausura não despertaram em Mandela sentimentos de vingança. Inspiraram o perdão e reconciliação. Permaneceu iluminado. Ícone da paz mundial, surpreendeu à todos.       

    Ele foi Invencível na luta pela igualdade racial!                                                                                                                                                                                                

    Invencível.  

      adj. Que não se consegue vencer; que não pode ser derrotado; insuperável.                   

      Marco Aurélio Ruffinn                                                                                                                             

         Carnavalesco                                                                                                                                                                                          

     

     


     

     

  • Diretoria

    Conheça nossa diretoria.

    Diretoria

     Presidente - Leandro Alves Martins

     Empresário paulistano morador do bairro de Itaquera, fundador e presidente da escola de samba Leandro de Itaquera. Desde a fundação da escola.

  • Fantasias

    Conheça nossa fantasias do nosso Carnaval 2015 (em breve)

  • Ficha Técnica

    Veja a ficha:

    Ficha Técnica

    Ficha técnica: Presidente: Leandro Alves Martins 

    Carnavalesco: Marco Aurélio Ruffinn
     
    Diretor de Carnaval: Fran Palazzi e Gemilson
     
    Intérprete: Juninho Branco
     
    Diretor de Harmonia: Paulão da Leandro
     
    Coreógrafo Comissão  de  Frente: Kelson Barros
     
      Casal de Porta Bandeira e Mestre-Sala: Karin Darling Martins e Paulinho Guedes
     
    Mestre de Bateria : Fernando Oliveira ( Pelézinho)
     
    Fundação: 3/3/1982
     
    Cores: Vermelho e Branco

  • Samba Enredo - 2015

     INVENCÍVEL

    Compositores: Gilson Nunes Vitório, Jorge Paulo Alves de Melo, Rogério  de Oliveira, Mauro Lúcio da Silva, Jorge Inácio, Orlando Francisco Filho e Moacir Antonio  de Oliveira.
    Intérprete: Juninho Branco

    No rufar do tambor... ôôô
    O Alvorecer, na passarela
    Exaltamos em vermelho e branco
    Você Mandela
                   
    África!!!  De etnias fascinantes
    Ouro e pedras preciosas
    Despertaram a ambição
    Deuses regentes da vida
    Contra a dominação
    Iluminado, nasce o filho destemido
    E por eles protegido, sua vida é lutar
    Com peito cheio de esperança
    Para a vitória alcançar              
     
    Axé!!!  Madiba axé!!!
    Vem à corte festejar
    Sou Leandro de Itaquera
    O meu pavilhão vai triunfar
     
    Resistiu... Preservando a união
    Plantando a paz e o amor
    Com o poder da educação
    Um grito forte ecoou...
    Libertem Nelson Mandela
    Pra vencer o apartheid...
    Abre a jaula e solte a fera!!!
    Você foi um líder, ícone da paz
    Invencível na busca, por seus ideais
    Meu leão vem mostrar... Nesse carnaval
    A luta de um povo guerreiro
    Pela igualdade racial
  • Samba-Enredo 2014

    Veja nosso samba-enredo.

    Samba-Enredo 2014

    Autores: André Ricardo, Beto Varandas, Didi Poeta, Rodolfo Minuetto, Vitor Gabriel e Medonha da Leste
     
    Intérprete: Juninho Branco
     
    Vai na Ginga Brasil, joga com o coração
    Mostra para o mundo seu talento natural
    Um dom abençoado pelos deuses
    Revela um toque genial
    Fruto de um país miscigenado
    Puro sentimento que não tem explicação
    Levo a alegria, por onde eu passo
    Guerreiro, ousado, malandro de fato
    No sol ou na chuva, no campo ou na rua...é emoção!
    Desde criança, fiz da bola um brinquedo, uma grande paixão!
     
    SOLTA O GRITO DA GARGANTA... OLÉ
    PRA FRENTE BRASIL, COM A BOLA NO PÉ
    E A GALERA SE AGITA, NA PALMA DA MÃO
    AO SOM DA BATUCADA DO LEÃO
     
    Num toque de classe aqui chegou
    Charles Miller o esporte consagrou
    Tocou para o povo, driblou a nobreza
    A felicidade venceu tristeza
    E dos Heróis se fez Pelé, a realeza!
    Brasil, Penta Campeão
    Futebol é emoção, hoje a Copa é aqui!
     
    Chegou a Escola da massa, da gente que canta com raça
    Que luta por nosso país!
    Na Zona Leste, Vermelho e Branco é raiz!
     
    ITAQUERA VAI TREMER... EU QUERO VER
    O POVO DELIRAR, SE ARREPIAR
    O SHOW COMEÇA ASSIM, COM MUITO SAMBA NO PÉ
    SOU BRASILEIRO, SOU LEANDRO E TENHO FÉ

  • Fotos

    Veja nossa galeria de fotos:

    1º Ensaio Técnico - Leandro de Itaquera - Carnaval 2014
    Vejas as fotos do ensaio. Fotos: Claudinho L. Costa ...
    Saiba mais

    Ala Baianas
    ...
    Saiba mais

    Ensaio Geral
    ...
    Saiba mais

    Harmonias
    ...
    Saiba mais

    Vivi Brilho… A rainha da Zona Leste que arrasa no samba!
     “Eu sou a Viviane Santos, mais conhecida como “...
    Saiba mais

  • Voltar

    1º Ensaio Técnico - Leandro de Itaquera - Carnaval 2014

    Vejas as fotos do ensaio.

    Fotos: Claudinho L. Costa 





     

    Fotos

  • Voltar

    Ala Baianas





     

    Fotos

  • Voltar

    Ensaio - Bateria

    Veja as fotos.

    Fotos: Claudinho L. Costa 





     

    Fotos

  • Voltar

    Ensaio - Comissão de Frente

    Veja as fotos.

    Fotos: Claudinho L. Costa 

     





     

    Fotos

  • Voltar

    Ensaio Geral





     

  • Voltar

    Harmonias





     

  • Voltar

    Vivi Brilho… A rainha da Zona Leste que arrasa no samba!

     “Eu sou a Viviane Santos, mais conhecida como “Vivi Brilho” 

     





     

  • Velha Guarda vence concurso de Samba Enredo - 2015

    Visualize nossa notícias diárias:A Leandro de Itaquera encerrou as finais de samba-enredo, a comunidade Itaquerense escolheu a obra dos compositores que fazem parte da Velha Guarda da Leandro de Itaquera. Enredo: INVENCÍVEL - NELSON MANDELA - "Axé Madiba Axé". 

  • Voltar

    INVENCÍVEL - NELSON MANDELA

     "Axé Madiba Axé". 
    Todas quartas-feiras e domingos ás 18h é dia de ensaio na Leandro de Itaquera!
    É pra sacudi...Itaquera no Elite Itaquerense.
    R. Augusto Carlos Bauman, 588 - Itaquera, São Paulo
     
     





     

  • Voltar

    INVENCÍVEL

     

     

    INVENCÍVEL

     

    Justificativa do Enredo

     

     

    Os  Bantus são supremacia na África do Sul.

    Laços de sangue e de alma nos unem.

    Os primeiros africanos a chegarem ao Brasil, foram os negros de origem Bantu.

    Chegaram por volta de 1560.

    Em todas as áreas do Brasil influenciaram a nossa identidade.

    Construíram a nossa economia em desenvolvimento, mas, por outro lado, foram sumariamente excluídos da divisão dessa riqueza.

    E após quatro séculos de escravidão restaram aos seus descendentes a triste herança da situação atual do negro no Brasil. Que mesmo sendo cinqüenta por cento da população, ainda vive em situação de desigualdade. Em um sistema velado de discriminação.

    Na contra mão da história, olhamos para a África do Sul.

    Agora as influencias são outras.

    Laços ideológicos nos unem novamente!

     

     

    “A educação é o grande motor do desenvolvimento pessoal. É através dela que a filha de um camponês pode se tornar uma médica, que o filho de um mineiro pode se tornar o diretor da mina, que uma criança de peões de fazenda pode se tornar o presidente de um país.”  

                                                                                                 

      Nelson Mandela                                                                                                                                                              

     

    E nos valemos da força superior e do pragmatismo de Mandela, para fazer nosso carnaval. Na tentativa desesperadora de inspirar o Brasil a promover de fato a igualdade racial.

     

                                                                                                                  

    SINOPSE  DO  ENREDO

    Há um tempo longínquo o ciclo natural seguia seu curso.                                                       

         Num majestoso deslumbre da natureza, ao rasgar a noite, o amanhecer desponta no horizonte. O rugido soberano do leão, acorda a fulgurante fauna à sacudir as savanas sul africanas; douradas agora, pelos primeiros raios do sol.                                                                                         

    É a vida em harmonia.                                                                                   

     Terras Bantu.                                                                                                

      Bem ao Sul, a paradisíaca África dos meus sonhos!                                                         

     Morada de etnias fascinantes.                                                                             

     De tribos primitivas ...........e de milenares tradições.

          “Não há nada como a liberdade.” 
                                         NELSON MANDELA

    E assim perdurou por séculos.

    Entretanto, o oráculo previa sofrimento e dor.                                                                                                                                                          Momentos difíceis estariam por vir...e veio.

    A partilha soprou ventos da Europa opressora.                                              

             A ambição, para ceifar o ventre da vida em ouro e pedras preciosas.                                                                                                                                 

      A dominação.

    A negra terra, todavia, era protegida por deuses ancestrais. Detentores das forças vitais que regem a vida. E enviaram os iluminados. Intercessores divinos, homens capazes de inspirar a paz e a fraternidade. Notáveis por seus poderes e sabedoria.
    Respeitados pela força e venerados por suas virtudes.      

    Em 18 de julho de 1918 nascia, Rolihlahla Dalibhunga Mandela, seu nome significava encrenqueiro. Filho do destemido Nkosi Mphakanyiswa Gadla Mandela - (Nkosi é um título adquirido, É o Leão sagrado – O Guerreiro da justiça), o patriarca da tribo Thembu, neto do rei Ngubengcuka. O iluminado nasceu em uma família real.                                                    

     

     Tambores ancestrais rufam em sua glória.                                                                                                                                                               

     A corte Aba Thembu está em festa!                                                                

    Mandela cresceu observando os costumes, os tabus, os rituais. A tradição oral lhe pôs em contato com mitos, fábulas e histórias fascinantes de reis lendários e heróis; povoando a sua infância de sonhos e esperança. Mas havia outro mundo além do seu, um mundo branco que ele conhecia o bastante para temer. Apesar de criança sabia que havia algo de assustador ali.

    De um lado a áfrica pura nativa, tribal.............                                             

    .....Do outro a áfrica devorada pela ganância, pelo colonialismo e pela aculturação. Um mundo onde a cor da pele determinava o destino das pessoas. O mundo da segregação racial.                                                                                                                                                                  

    Aos sete anos sentiu o primeiro impacto com este mundo. Seu professor decidiu que ele precisava de um nome mais apropriado para uma sociedade branca. Passou a se chamar Nelson Rolihlahla Mandela.                                                                

        Anos mais tarde perde seu pai e passa a morar com o chefe do clã Thembo.                              

      – Coragem meu filho, foi o pedido de sua mãe. Desolada com a dor da separação.      

    Sua vida toma outro rumo.

    Teve acesso a uma ampla formação educacional influenciada por valores de sua própria cultura e da cultura européia.                                                                  

     O discernimento invade a sua alma!                                                                                               

    “A educação é a mais poderosa arma pela qual se pode mudar o mundo.” 
                                                                                                         NELSON MANDELA

    Ao mesmo tempo.                                                                                              

      O apartheid já era um fato.                                                                                     

    E a tensão aumentava.

    Na universidade de direito, a consciência política desabrocha. Entra em contato com membros do Congresso Nacional Africano, CNA e funda a Liga dos Jovens do CNA, a “geração dos rebeldes”, na tentativa de forçar uma abordagem mais radical dentro da própria organização.

    Através da militância na Liga Jovem, juntamente com outros membros, desafiaram o sistema e deram um novo direcionamento ao CNA, mudando para sempre a luta pela liberdade.                                                                                                

     Definitivamente nascia um líder no combate pela emancipação e dignidade do povo. Era chamado de Madiba, sinônimo de carinho e respeito.

    “Eu odeio o racismo, pois o considero uma coisa selvagem, venha ele de um negro ou de um branco.” 
                                                                                                          NELSON MANDELA

    Não contente em estigmatizar e combater as leis do apartheid,  declarou-se favorável a uma África do Sul livre e igualitária.                                                           

     

    Falar afrikaner  jamais...                                                                            

    Movimentos pacifistas se espalharam por todo o país.                           

    Foram recebidos à bala.                                                                                       

     É a praga do apartheid entrando em vigor e determinando a supremacia de uma minoria branca.                                                                                                                                                           Os negros perceberam, que então, haviam se tornado inimigo de seu próprio país.  

    Pra luta armada foi um passo.                                                                            

     As idéias de Mandela comandam a resistência.                                                       

    Longos anos de guerrilha e luta.                                                                                       

     Muito sangue derramado.  

    Por fim.  

    Mandela foi preso definitivamente, em 1962, acusado de conspiração contra o sistema político imposto pela minoria branca.   

    Em seu julgamento fez sua própria defesa declarando diante do tribunal, que aquele era "um julgamento das aspirações do povo africano"

    Falou por quatro horas, e concluiu: "Durante a minha vida, dediquei-me a essa luta do povo africano. Lutei contra a dominação branca, lutei contra a dominação negra. Acalentei o ideal de uma sociedade livre e democrática na qual as pessoas vivam juntas em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal para o qual espero viver e realizar. Mas, se for preciso, é um ideal pelo qual estou disposto a morrer".                                                         Foi condenado a prisão perpétua.

    “Seja qual for o Deus, eu sou mestre do meu destino e capitão da minha alma.” 
                                                                                                                                 NELSON MANDELA

    A beleza paradisíaca da cidade do Cabo esconde a dor de Mandela, enjaulado na solitária prisão.                                                                                                                                                      

      Longos foram os anos de clausura...                                                                                   

      Re-significou sua vida e de lá comandou a resistência.                                                                                                                                                                                                Em comoção o mundo aliou-se a ele.                                                                     

    “Libertem Nelson Mandela”, era o lema das campanhas antiapartheid em vários países do mundo.                                                                                                                                 Movimentos políticos, na última tentativa de salvar a África do Sul, em 1990 sob a tutela do governo conciliador do presidente Frederik Willem de Klerk. Mandela foi libertado e reconduziu o processo que deu fim ao apartheid na África do Sul.

    Em 1992, as leis segregacionistas foram finalmente abolidas.                                

    No ano seguinte, a vitória política lhe concedeu o prêmio Nobel da Paz. Em 1994  tornou-se o primeiro Presidente de raça negra do país, sendo o maior responsável pelo expurgo das práticas racistas do Estado africano.

    “Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas outras montanhas por escalar.” 
                                                                                                                                                       NELSON MANDELA

    Os vinte e sete anos de clausura não despertaram em Mandela sentimentos de vingança. Inspiraram o perdão e reconciliação.                                                     

     Permaneceu iluminado.                                                                                              

    Ícone da paz mundial, surpreendeu à todos.       

    Ele foi Invencível na luta pela igualdade racial!                                                                                                                                                                                                 

    Invencível.                                                                                                                                                    

       adj. Que não se consegue vencer; que não pode ser derrotado; insuperável.                   

                                                                                                                                                 Marco Aurélio Ruffinn                                                                                                                                                                                        

    Carnavalesco                                                                                                                                                                                          

     





     

  • Agenda

    Fique atento em nossa agenda:

    Festa dos Protótipos 2015
    ...
    Saiba mais

    Festa de Lançamento Enredo 2015
    ...
    Saiba mais

  • Voltar





     

  • Voltar

    Festa dos Protótipos 2015





     

  • Voltar

    Festa de Lançamento Enredo 2015





     

  • Contrate nosso Show

    Entre em contato com Karin pelo e-mail abaixo:
     
    E-mail: karin.darling@hotmail.com
    Cel: 9 4879 4425

  • Contato

    Quadra de Ensaios: Rua Augusto Carlos Baumann, 588 - (Elite Itaquerense)
     
    Barracão de Alegorias: Rua Otton Baugard 
     
    Endereço de Correspondência: RuaPalmerino Calabrese, 178 - Itaquera - CEP 08230-060 - São Paulo/SP
     
    E-mail: presidente.leandrodeitaquera@hotmail.com 
     
    Imprensa: Suzy Dolly e Luiz Mario 
     
    Telefones: (11) 2053-5339 / 2057-5456

     

     

  • Contato

    Quadra de Ensaios: Rua Augusto Carlos Baumann, 588 - (Elite Itaquerense)
     
    Barracão de Alegorias: Rua Otton Baugard 
     
    Endereço de Correspondência: RuaPalmerino Calabrese, 178 - Itaquera - CEP 08230-060 - São Paulo/SP
     
    E-mail: presidente.leandrodeitaquera@hotmail.com 
     
    Imprensa: Suzy Dolly e Luiz Mario 
     
    Telefones: (11) 2053-5339 / 2057-5456

     

     

<